sábado, 23 de fevereiro de 2008

Se Eu Fosse Um Padre - Mário Quintana

Se eu fosse um padre,
eu, nos meus sermões,

não falaria em Deus nem no Pecado
muito menos no Anjo Rebelado
e os encantos das suas seduções,
não citaria santos e profetas:
nada das suas celestiais promessas
ou das suas terríveis maldições...


Se eu fosse um padre eu citaria os poetas,
Rezaria seus versos, os mais belos,
desses que desde a infância me embalaram
e quem me dera que alguns fossem meus!


Porque a poesia purifica a alma...
um belo poema,
ainda que de Deus se aparte
um belo poema sempre leva a Deus!

(Mário Quintana)




Um comentário:

Aug disse...

A arte tem sempre um início muitas vezes do inconsciênte...
e é nessa semente "irreal" que está a força de algumas obras que nos elevam, nos deprimem....um verdadeiro potencial criativo/destrutivo....

O dedo de Deus, com certeza...o Potencial Criativo Omni...

Ps: obrigado pelo "calmante"..vc não sabe o bem que me faz com um simples ato!!